Largo Visconde do Cairú, 12 Conjunto 504 - Centro - Porto Alegre/RS
(51)3221-5259

Notícias

Vendas de Dia dos Pais terão crescimento real de 1,5%, projeta a Fecomércio-RS

O cenário econômico e político mais uma vez vai respingar em uma data importante para o varejo. Levantamento para o Dia dos Pais realizado pela Fecomércio-RS indica que as vendas do comércio gaúcho deverão registrar um crescimento real de 1,5% em comparação com o mesmo período do ano passado (já descontada a variação de preços). Os dados estão na avaliação econômica Dia dos Pais 2017, divulgada nesta quinta-feira (27), pela Fecomércio-RS.

O dado segue a tendência que vem marcando o comércio ao longo do ano, formada por oscilações nas vendas que até agora não foram suficientes para sinalizar uma recuperação efetiva em relação ao patamar já deprimido de 2016. A avaliação evidencia que o comércio em geral está bastante atrelado à dinâmica do mercado de trabalho.

De acordo com o presidente da Fecomércio-RS, Luiz Carlos Bohn, as variáveis econômicas que têm peso determinante sobre a intenção de compra dos consumidores gaúchos são o cenário do emprego e renda, o mercado de crédito e a confiança das famílias. A expectativa de vendas no Dia dos Pais é reflexo de variáveis como taxa de desocupação no Estado (9,10%), crescimento da massa real de salários (3,10%), intenção de consumo das famílias (75,1 pontos), nível de comprometimento da renda com dívidas (19%), taxa de juros à pessoa física ao ano (63,80%), inadimplência de pessoa física (5,93%) e inflação em 12 meses (2,82%).

“De uma forma geral, o mercado de trabalho permanece enfraquecido e, embora tenha ocorrido aumento na massa real de rendimentos, os salários não tiveram aumentos que possam ser canalizados para o consumo”, justifica Bohn. A intenção de consumo dos gaúchos em patamar negativo (aos 75,1 pontos) e o crédito ainda caro são fatores que vão pesar na decisão de compras dos consumidores neste Dia dos Pais.

Alguns segmentos do comércio tradicionalmente são mais impactados positivamente pelas vendas na data. No entanto, em função do grau de restrição orçamentária das famílias, itens de menor valor devem ser os mais procurados para presentear, como vinhos e chocolates, por exemplo. Além disso, a permanência das temperaturas baixas nas semanas que antecedem o domingo comemorativo também pode reforçar as vendas nos segmentos de vestuário e de calçados.

31 de julho de 2017